Lançado
há um ano na capital brasileira da produção de espumantes, o projeto inédito no
País é uma parceria da Lex Empreendimentos Imobiliários e da M. Stortti
Consultoria, com o apoio técnico da Vinícola Geisse. Investimentos de R$ 30
milhões estão sendo direcionados à estrutura que contemplará 58 lotes de, em
média, mil metros quadrados, e caves próprias para a produção de 600 espumantes
ao ano para cada unidade. As obras já em andamento estarão finalizadas até
2018.

As
caves e os projetos arquitetônicos das casas de confrarias no Terroir levarão a
assinatura do renomado escritório de arquitetura Bórmida y Yanzón, com sede em
Mendoza, na Argentina. “Fomos buscar os melhores profissionais do mundo para
integrar o projeto, tanto para o suporte em termos de arquitetura quanto de
enologia. O conceito deste condomínio, então, baseia-se em experiências realizadas em regiões
produtoras de vinho, como Argentina, Chile, Estados Unidos e Portugal”,
completa o diretor da m.Stortti, Maurênio Stortti. N
as instalações
do empreendimento haverá também um Hotel Boutique, com 26 unidades
habitacionais e ampla infraestrutura de lazer e de serviços à disposição, tanto
dos hóspedes quanto dos condôminos proprietários.

“A
edificação se faz em qualquer parte do Brasil, agora, vinhedo tem que ser
plantado no local correto e de forma adequada”, explica Ivo Siviero Filho,
diretor da Lex Empreendimentos Imobiliários. O executivo acredita que nenhuma
região do País poderia ser mais favorável à implantação do projeto. “Maior e
mais importante região vinícola do Brasil, de clima temperado e úmido, noites
amenas e solo basáltico, a Serra Gaúcha possibilita o cultivo de uvas de
qualidade, especialmente para a produção de espumantes com frescor, vivacidade
e equilíbrio, reconhecidos mundialmente”, diz.