A convite do
DFB 2015, estilistas e marcas nacionais e internacionais se unem a novos
talentos lançados ao longo do evento em um único objetivo: o comprometimento
com a moda autoral. Eles serão responsáveis pela apresentação dos 32 desfiles em
salas com capacidade para mil pessoas cada. Os nomes confirmados no line up são:

 

Aládio
Marques (BA): Sediada em Salvador (BA) e há um ano e meio no mercado, a marca
originou-se da vontade do jovem designer de moda de proporcionar às mulheres
roupas com design exclusivo e autoral, embasado em pesquisas históricas e
contemporâneas, criando indumentárias com conceito sem perder o cunho
comercial. Baseado nisto, iniciou-se, concomitantemente, a criação de uma linha
de camisaria masculina, cuja modelagem é exclusiva e a estamparia diferenciada.
No DFB 2015, vai apresentar a coleção 90º, inspirada no concretismo e na forma
da obra de Hércules Barbosti. A estrutura das peças tem como base formas
precisas, proporções tensas e a tridimensionalidade do espaço.

André Sampaio
(CE): Estilista cearense de 21 anos formado pela Universidade Federal do Ceará.
Foi finalista no concurso Ceará Moda Contemporânea 2014, promovido pelo
Sinditêxtil-CE. Vai estrear no DFB 2015 com uma coleção inspirada na antologia de
fotos do clã cearense “Pontes Vieira”, com quem possui parentescos e
que traz registros narrados desde 1870.

Asap (RS): A marca caracteriza-se por simplificar o conceito do
complicado. Que assina é Sérgio Amaro, que busca reflexões nos movimentos do cotidiano
e através de um olhar minimalista procura trabalhar o espaço corpo/matéria. No
DFB 2015, vai apresentar a coleção “VERSUS”, que tem inspiração nos
contrapontos entre os campos e as grandes cidades, ressaltando as
características do campo através do uso da palha de milho trançada, forma de
artesanato típico dos índios da região Sul do Brasil. Somam-se a esse os
elementos tricô manual, acrílico, tecidos mais estruturados e estampas com
reflexos dos carros, postes e prédios presenciados nas grandes cidades.

Almerinda Maria (CE): Produz peças únicas com o mais alto padrão do
segmento handmade. Bordados, rendas, especialmente a renascença e o richelieu,
são confeccionados de acordo com uma tradição familiar secular e o rigor de uma
produção de excelência internacional. Moda feminina especializada para um
mercado de alta costura. Feitas sob medida, exclusivas, e com corte impecável,
as peças são ajustadas à perfeição. Tecidos, bordados, rendas, aviamentos de
cada modelo, tudo é definido a cada nova criação por uma equipe de designers
especializada. O processo de confecção foi aprimorado no decorrer dos anos pela
equipe da empresa e as técnicas são repassadas para aprendizes da mesma família
ao longo dos anos. 


Bikini Society (FR): No verão de
2011, no lugar mais improvável para uma marca de Bikinis, no meio dos Alpes
Suíços em Geneve, nasceu Bikiny Society, fruto de uma paixão pela moda e pela
praia de uma jovem estilista brasileira, Paula Pinto Villas-Boas, que estudou
moda na Universidade Federal do Ceará e na Universite de la Mode de Lyon (FR).
Hoje, a Bikiny Society é vendida em várias boutiques por toda a Europa. Em
2014, Paula lançou a marca no Brasil, onde abriu a sua primeira loja própria.
Atualmente, Paula vive entre a Europa e o Brasil, seguindo a sua paixão de
misturar as tendências e o bom gosto Europeu com a Bossa do Brasil para Bikiny
Society.

 

Christina
Crawford (IT): CEO e diretora criativa da marca que leva seu nome, Christina
Crowford é uma designer criativa e dinâmica, com paixão por moda, graduada em
Design de Moda pela Istituto Europeo di Design,  em Milão, e École
supérieure des arts et techniques de la mode (ESMOD), em Paris. A marca, com
sede em Milão (Itália), descreve-se como britânica, brasileira e italiana.

 

 

Gisela Franck
(CE): Cearense inserida no mercado na moda desde 2003, Gisela é formada pela
Faculdade Católica do Ceará e fez seu Mestrado em Fashion Design durante um ano
no conceituado Istituto Marangoni em Milão. Atualmente, divide o tempo entre a
marca de moda praia Água de Coco por Liana Thomaz e sua marca homônima. O DNA
da estilista são suas texturas criando tecidos numa linha minimalista e de
alfaiataria. No DFB 2015, ela vai apresentar a coleção “Flor Dalinae –
Verão 2016”, inspirada no universo surrealista de Salvador Dalí e que traz
peças que valorizam a alfaiataria clássica; a feminilidade; formas orgânicas; e
que trazem tecidos de fibras naturais como organza de seda pura, linho, crepe e
palha.

Ivanildo Nunes (CE) : Estilista que busca criar peças com sofisticação e
feminilidade para todos os tipos de mulheres. Formado em Comunicação Social com
habilitação em jornalismo pela UFC, é pós-graduado em Criação e Desenvolvimento
de Produto de Moda. Atualmente atua como Designer de sua própria marca e presta
consultoria em desenvolvimento de produtos de moda, além de palestras sobre
Artesanato, Design e Moda.

 

Jadson
Raniere (SP): Natural de Cupira, no interior de Pernambuco, começou a ter
contato com a moda desde cedo. Formado no Rio de Janeiro, mas com ascensão
profissional em São Paulo, onde foi um dos destaques da Casa de Criadores. No
DFB 2015, vai pela primeira vez lançar uma coleção. Os looks serão bem
apimentados, com um espírito étnico, um tempero esportivo e uma capa de
musselina dos campos floridos com a mistura urbana típicas de sua coleção.

Jefferson Ribeiro (BA): Criada em 2013, a marca tem em seu repertório a
experiência do designer baiano em direção criativa e posicionamento de mercado.
As coleções são pensadas para mulheres elegantes e discretas, tendo a seda como
a base para roupas de corte reto e caimento perfeito.


João Paulo Guedes (CE):
Nascido em Quixeramobim, sertão do Ceará, foi para Toronto, no Canadá, onde
estudou Design de Moda na George Brown College e depois passou três meses na
Índia em um intercâmbio de moda. Em 2014, foi indicado para participar da
Semana de Moda Masculina de Toronto e então condecorado como mais novo
estilista da moda masculina daquela cidade. Desde então, passou a ser
referência em revistas como a Vogue Itália e Forbes. No DFB 2015, o estilista
que volta consagrado do mercado internacional vai apresentar sua coleção
Outono-Inverno 2015.  

 

Lenita Negrão
(CE): Marca presente há 28 anos no mercado e comandada por duas empresárias da
moda feminina, Lenita e Maria Lúcia Negrão (mãe e filha, respesctivamente). A
rede trabalha com uma moda autêntica, de bom acabamento e preço convidativo.
Trabalhando sempre a relação relação cliente-marca, que consiste em oferecer
muita comodidade aos consumidores, a dupla tem o sistema de “moda rápida” como
outro carro-chefe da marca. Mãe e filha têm o total comprometimento em criar e
manter produtos de qualidade em meio à agilidade das tendências, com trocas
semanais de peças que inovam em suas texturas, formas e estampas.

 

Lindebergue
Fernandes (CE): Cearense reconhecido por por criar peças inspiradas em suas
lembranças afetivas e na cultura popular brasileira, participa do DFB pela 13ª
vez. Sua vontade de trabalhar com moda surgiu bem cedo, quando assistia as
telenovelas.


Lino Villaventura (CE): Foi um dos primeiros estilistas brasileiros a voltar os
olhos para o mercado internacional. Em 1989, já com pouco mais de dez anos de
carreira e referência na moda brasileira, o paraense, então radicado no Ceará,
foi convidado pelo Itamaraty para representar o Brasil em uma feira
internacional em Osaka, no Japão, a “World Trade Fashion”. Suas criações
primam pela mistura de materiais diversos como escamas de peixe desidratadas,
borrachas, couro de cabra, palha de buriti, rendas, musselines e tafetás.

 

Lisyane Arize
(FR): A LIZZI é uma marca franco-brasileira que busca em sua essência a
preservação do Savor-faire tradicional e cultura, a fim de apresentar
comunidades e organizações tradicionais que atravessam décadas e gerações de
famílias em uma arte pouco reconhecida e valorizada. Para o DFB 20015, a LIZZI
preparou a coleção exclusiva “Trabalhadores do Mar”, que traça um
paralelo entre o romance de Josué Montello, “Cais do Coração”, e a
obra de Victor Hugo, Trabalhadores do Mar, homenageando muitos mestres culturais
maranhenses, que sempre desenvolveram a cultura a partir do seu sustento no
mar. A ideia é fortalecer o laço com a cultura nordestina a partir da
apropriação de técnicas manuais desenvolvidas pelos grupos culturais do
Maranhão e com a possibilidade de inserção de couro e peixes em suas peças.

Melk Z-da (PE): Experimentalismo é a essência da Melk Z-Da. Para criar,
o designer, sempre em construção, busca referências nas artes plásticas,
literatura, folclore, cinema, lugares, pessoas e na própria moda. Para o DFB
2015, a marca preparou uma coleção inspirada nas flores regionais, que explora
técnicas dos bordados do Brasil e texturas. A ideia é traduzir a beleza das
flores nacionais e suas peculiaridades, cores e formas em peças sofisticadas e
contemporâneas.

Paulo Martins (CE): Vencedor do Comunidade Moda de 2014, Paulo Martins teve
como premiação ter seu nome no line up do DFB do ano seguinte. Sua
coleção que será apresentada tem como inspiração o objeto “filtro dos sonhos”,
um objeto simbólico e usado muito, atualmente, pelos jovens e adultos com a
intenção de canalizar energias positivas através das penas e deixar as
negativas presas em suas teias que foram tecidas por uma aranha muito
inteligente, segundo a lenda. O propósito desta coleção, chamada “Ojibwe”, é
mostrar que somos capazes de sentir ”good vibes” somente olhando para algo
bom e esplendoroso, principalmente roupas que são confeccionadas com uma
energia positiva. Assim, deixando o público presente no desfile com uma leveza
e serenidade ao ponto de sair com a mente limpa da passarela. 

 

Rebeca
Sampaio (CE): Morou em Londres por quase cinco anos, período em que estudou
moda na London College of Fashion e no Instituto Morangoni. Foi lá onde criou
sua identidade estilística, sempre preferindo recortes inusitados, misturas de
materiais rígidos e leves e inovação a partir de texturas e formas, além de
sempre trabalhar com couro. No DFB 2015, vai apresentar peças com elementos
marítimos, trazendo elementos como bordados metalizados, sobreposição de
tecidos, recortes estratégicos,  vestidos “bodycon” e peças em
couro pintados a mão. 

Riachuelo: Consolidou-se no mercado como a maior empresa de moda do País,
principalmente pelo fato de ser a única do segmento que pesquisa, cria e
produz, entre outras inovações. Com este modelo inédito de negócios, a empresa
– que possui o maior parque fabril da América Latina – incorporou, com
exatidão, o verdadeiro conceito fast fashion, objetivando democratizar o acesso
às últimas tendências das passarelas nacionais e internacionais. Atualmente, a
rede possui mais de 22 milhões de clientes no cartão Riachuelo e 261 lojas
próprias espalhadas pelo Brasil.

 

Ricardo San
Martin (RN): Atua há 18 anos no mercado e já desenvolveu 14 coleções para sua
marca própria e diversas coleções para outras marcas no Brasil e principalmente
no exterior. A característica registrada do designer são os trabalhos de
química têxtil e silhuetas clássicas atemporais. Lançou sua grande primeira
coleção no DB e na edição desse ano apresenta “SACRILÉGIO”, que
comemora os 18 anos de profissão do criador e o retorna o retorno ao evento que
transformou sua carreira. Ao todo, serão 20 looks carregados de sentimento e
muita arte inspirados nas vivências San Martini que representam uma fazenda no
interior do Mato Grosso, sua família judaica, o ensino interno em um mosteiro
agrícola católico, o matadouro da família e sua brusca entrada no universo
urbano, luxuoso, fútil e fértil.

Ronaldo Silvestre (MG): Jovem empresário formação em desenho industrial,
design de moda e desenvolvimento sustentável, possui uma marca de roupas
homônima, onde assina coleções de moda sustentável. Em suas peças, tem sempre a
preocupação de envolver questões atuais vivenciadas pela sociedade, como
sustentabilidade, eco designer e a preocupação sócio-econômica-ambiental dentro
da economia criativa. No DFB 2015, vai apresentar “Flores da Guerra”,
uma coleção atemporal para o verão 2016 composto por refugos de jeans,
camuflados, chitas e seda artesanal que definem formas e recortes dos looks
tendo como inspiração os contornos e silhuetas das árvores.

 

Vitonino
Campos (BA): Graduado em Design de Moda pela Universidade de Salvador – Brasil,
criou sua marca homônima em 2008. O cuidado com acabamento, além do olhar e
sensibilidade com a costura, são suas marcas registradas. A simplicidade é o
ponto alto da sofisticação em linhas impecáveis. O trabalho é reflexo da
seriedade e do desenvolvimento primoroso de peças no prêt-à-porter e sob
medida, sempre com componentes de altíssima qualidade. Para mulheres reais, mas
com projeção no desejo, somando inteligência e suavidade.

 

Wagner
Kalieno (RN):
Vencedor do Rio Moda Hype
em 2010, o estilista natalense vem conquistando território nacional elaborando
peças com recortes e mistura de materiais, numa linguagem sexy e contemporânea.

 

Weider
Silveiro (PI):  Piauiense de 34 anos radicado em São Paulo e formado em
moda na Universidade Federal do Ceará (CE). Seu contato com a moda começou quando
era comprador para uma multimarca que vendia as grifes nacionais famosas no
inicio dos anos 90. Depois, colocou a própria loja e depois resolveu estudar
moda na UFC. Seu trabalho é inspirado na tendência dos grandes centros
difusores de moda.